Não cometa este erro de 99% dos reprovados em Concurso

O grande erro dos concurseiros reprovados

Durante todo o período em que você estuda para concurso, lendo dicas de gurus e especialistas, se comparando com outros candidatos, provavelmente lhe ensinaram algo muito errado. Algo que torna sua preparação mais cansativa e pouco produtiva.

Cerca de 99% dos candidatos a concurso público usam esse modelo equivocado, e adivinhe qual é o resultado deles nas provas que fazem? Isso mesmo: reprovação!

Os concurseiros seguem esse modelo simplesmente porque não observam o mundo à sua volta. E também porque não compreendem como o seu cérebro funciona (não fisicamente, mas sim psicologicamente).

O grande erro a que estou me referindo é o seguinte: não faz sentido você “medir” sua produtividade nos estudos através de “horas estudadas por dia”. O correto é que você passe do sistema de “horas trabalhadas” para um sistema de “metas alcançadas”.

Observe como as empresas estão trabalhando atualmente. Para elas (pelo menos as bem-sucedidas) não interessa mais se seus funcionários passam 40 horas semanais dentro do escritório. A pergunta que fazem é: quantos produtos você vendeu? Quantos clientes você conquistou? Quantos insumos você produziu? Boa parte delas usa, no mínimo, um sistema misto, onde o funcionário tem horário a cumprir mas é recompensado pela produtividade.

A maioria dos concurseiros ainda trabalha no sistema tradicional de “horas de estudo” por dia. Para você fugir desse grande erro vamos tratar dos seguintes tópicos neste artigo:

#1. Por que estudar por tempo é uma cilada

#2. As grandes vantagens de estudar por produtividade

#3. Como criar um sistema misto que respeite seu tempo

Vamos lá!

Por que estudar por tempo é uma cilada

Sistema de estudo para concurso por tempo

As pessoas comuns pensam apenas como passar o tempo. Uma pessoa inteligente tenta usar o tempo – Arthur Schopenhauer

Quando você vai planejar seus estudos e define que precisa estudar “x” horas por dia você está dizendo para o seu cérebro o seguinte: “amigão, a partir de hoje vamos passar 3 horas por dia na frente do livro. Assim que o tempo acabar estaremos livres desse peso”.

Sem condicionar seu cérebro em relação ao que você precisa efetivamente fazer – aprender! – a tendência é que você se torne um ótimo gastador de tempo, e não um concurseiro preparado.

É claro, o sistema de preparação baseado nas horas de estudo por dia é ótimo para organizar seu tempo. Assim você pode ficar com a consciência tranquila para dividir as horas de sono, o horário das refeições, a hora do lazer e do trabalho, encaixando as horas de estudo de maneira adequada.

Lamento dizer que esse é um grande erro. Um grande erro cometido, como eu disse, por cerca de 99% dos candidatos (inclusive eu, até descobrir a verdadeira forma de me preparar com qualidade para um Concurso).

Conheça segredos para turbinar seus estudos!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente dicas surpreendentes sobre como estudar para Concurso!>

As grandes vantagens de estudar por produtividade

Estudando para concurso por produtividade

Digamos que você está se preparando para um concurso qualquer, e que um dos tópicos que você precisa aprender na disciplina Língua Portuguesa é “Regência verbal e nominal”. Pouco importa se você vai se dedicar uma, duas, três, quatro ou mil horas a esse assunto, o importante é que você tenha aprendido de fato.

E é essa mensagem que você precisa mandar para o seu cérebro: “nós precisamos aprender Regência verbal e nominal, custe o que custar. Enquanto não conseguirmos alcançar essa meta nós não poderemos descansar”.

Ao fazer isso você foca no resultado, melhora sua atenção, voltando-a ao que é realmente importante, e ganha muito mais motivação para aprender, e não para estar na frente do livro aguardando o momento do relógio lhe liberar dos estudos.

Acredite! Além de todas essas vantagens, você vai poupar muito tempo estudando através desse sistema.

Como criar um sistema misto que respeite seu tempo

Como criar um sistema misto de estudo

Eu sei o que você deve estar pensando. “Ok, Danilo. Você está certo em relação às vantagens do sistema por produtividade, mas eu não tenho o dia todo para estudar. Preciso estabelecer um horário de início e de fim para os meus estudos”.

Não é tão difícil quanto você pensa. Para adaptar o estudo por produtividade você primeiro precisa dividir os tópicos de estudo no máximo possível. No caso do nosso exemplo, “Regência nominal e verbal”, já é possível aprender a regência nominal e depois aprender a regência verbal. Caso seu tempo seja insuficiente para estudar ambos os tópicos, estude apenas um. O mais importante é que o foco esteja no aprendizado, não no tempo.

Outra forma de saber mais ou menos o que você consegue aprender em determinado período de tempo é aferindo sua capacidade de leitura. Uma ferramenta gratuita e muito interessante onde você pode medir isso é a Speech Word Count, que vai lhe dizer quanto tempo, em média, você demora para ler um texto (apenas textos digitalizados).

Mas você pode fazer testes para aferir seu tempo de leitura por página, e então saber quando um assunto é grande demais para determinado tempo de leitura. Se o número de páginas estiver em sua média de tempo, estude, mas esqueça o relógio! Lembre-se do objetivo: aprender um tópico.

Cada tópico aprendido é um troféu. A sensação de riscar tópicos do conteúdo programático de um concurso é muito gratificante. Experimente!

O que aprendemos neste artigo

Neste artigo vimos como a maioria dos candidatos a Concurso Público estão enganados em relação ao seu sistema de estudo, que privilegia o gasto de tempo e não o aprendizado dos assuntos. Vimos como nosso cérebro se comporta nos dois sistemas de estudo (por tempo e por produtividade) e aprendemos como conciliar o tempo disponível com a necessidade de focar nos resultados.

Agora preciso que você deixe seu comentário falando sobre o sistema que você usa, e como se adapta nessas possibilidades de estudo. Sua participação é essencial para continuarmos publicando conteúdo interessante!

😉