Os Bancos na Era Digital para Concurso

Os Bancos na Era Digital

Estamos de volta com mais um artigo especialmente dedicado àqueles que estão buscando a aprovação em um concurso bancário.

Abordaremos um tema que está cada vez mais presente nos concursos, seja em questões, seja em temas de redação: Os Bancos na Era Digital.

A ideia é que você compreenda conceitos desse conteúdo que ainda são pouco populares, embora seja possível que já tenha ouvido falar de vários deles.

Caso surja alguma dúvida ao longo da leitura, deixe um comentário. Faço questão de esclarecer.

Vamos nessa!

O que cai sobre os Bancos na Era Digital em concursos

Bancos na Era Digital em concursos

Tomando como exemplo o recente edital do Concurso do Banco de Brasília (BRB), encontramos os seguintes tópicos presentes no conteúdo programático:

  • Internet banking, banco virtual e “dinheiro de plástico”.
  • Mobile banking.
  • Open banking.
  • O comportamento do consumidor na relação com o banco.
  • A experiência do usuário.
  • Segmentação e interações digitais.
  • Inteligência artificial cognitiva.
  • Banco digitalizado x banco digital.
  • Fintechs e startups.
  • Soluções mobile e service design.
  • O dinheiro na era digital: Blockchain, Bitcoin e demais criptomoedas.
  • O desafio dos bancos na era digital.

A seguir aprenda o que boa parte desses conceitos querem dizer.

Open Banking

O conceito de Open Banking está ligado à possibilidade do usuário ter autonomia para a utilização dos seus dados bancários – tirando esse poder dos bancos. Assim, além do seu banco, é possível autorizar que outras empresas criem serviços integrados aos oferecidos pela instituição financeira em que você possui uma conta..

Por exemplo: você pode usar um aplicativo de controle de gastos que utilize suas informações bancárias. Para isso, seu banco precisa ser aberto (open) a esse tipo de possibilidade. No vídeo a seguir, você poderá compreender melhor:

Startups

Uma Startup nada mais é que uma empresa jovem com um modelo de negócios repetível e escalável, em um cenário de incertezas e soluções a serem desenvolvidas.

Embora não se limite apenas a negócios digitais, uma startup necessita de inovação para não ser considerada uma empresa de modelo tradicional.

Nem toda empresa é uma Startup. Mas toda Startup é uma empresa. Entenda melhor a seguir:

Fintechs

É um conceito que deriva da união dos termos “financial” e “technology”. As Fintechs são startups que trabalham para oferecer serviços financeiros a partir das possibilidades tecnológicas da contemporaneidade.

Assim, elas conseguem trabalhar com custos operacionais menores, de maneira mais otimizada. Os bancos tradicionais (Bradesco, Banco do Brasil etc) usam a tecnologia em seus serviços, mas não são consideradas Fintechs porque ainda operam prioritariamente a partir do modelo tradicional.

As Fintechs tem toda a base da sua operação na inovação tecnológica, oferecendo serviços como: cartão de crédito, meios de pagamentos, lojas virtuais, financiamentos/empréstimos etc. Entenda um pouco mais no vídeo abaixo:

Criptomoeda

Certamente você já ouviu falar em criptomoedas. Uma criptomoeda nada mais é que um meio de troca descentralizado que se utiliza de tecnologias como o blockchain (ver tópico a seguir) e a criptografia para garantir a validade das transações e a criação de novas unidades da moeda.

Entenda melhor:

BlockChain

Falamos sobre BlockChain acima, quando conceituamos criptomoeda. Trata-se de uma tecnologia importantíssima para garantir a segurança das transações das moedas digitais.

O BlockChain pode ser entendido como um “livro contábil” que registra as transações com criptomoedas. No caso das moedas criptografadas, como o bitcoin, esse livro registra o envio e recebimento de valores. Entenda melhor:

Bitcoin

O Bitcoin, é uma moeda digital (criptomoeda) descentralizada e que não necessita de terceiros para funcionar.

Ou seja, você não depende de bancos, grandes corporações ou governos para movimentar seu dinheiro. Veja a ilustração no vídeo a seguir:

Service Design

O Design de Serviços tem o propósito de planejar e organizar pessoas, infraestrutura, comunicação e componentes materiais de um serviço de forma a melhorar sua qualidade e a interação entre a empresa provedora do serviço e os consumidores.

É o “desenho” dos serviços de maneira otimizada, em benefício do cliente.

Inteligência Artificial Cognitiva

Inteligência Artificial Cognitiva

A Inteligência Artificial Cognitiva é a capacidade de aprimorar o aprendizado de uma máquina. Ou seja, se um sistema de inteligência artificial, por definição, consegue aprender, com a inteligência cognitiva ele aprende a aprender mais, tornando o processo (e o serviço que ela presta) muito mais eficaz.

O que aprendemos neste artigo

Hoje foi dia de aprender conceitos importantes presentes no conteúdo programático sobre os Bancos na Era Digital.

Vimos esses conceitos e suas relações, com videoaulas para facilitar o aprendizado.

Tenho um Convite para Você!

Retribua esse conteúdo deixando um comentário. Esse é um “pagamento” 100% gratuito, que estimula a continuidade das publicações aqui no Segredos de Concurso.

Dúvidas, sugestões e críticas são muito bem-vindas. Faço questão de ler cada comentário, e respondo na primeira oportunidade que aparece.

Até a próxima!

😉