Microeconomia para Concurso: como acertar questões na sua prova!

Microeconomia para Concurso

A cada dia que passa nos aprofundamos mais nas disciplinas mais específicas dos concursos públicos brasileiros aqui no Segredos de Concurso. Hoje vamos nos dedicar ao conteúdo de Microeconomia para Concurso, que cai em muitos concursos importantes Brasil afora.

Um grande exemplo é o Concurso da Polícia Federal, que trouxe 10 questões do tema em seu último concurso – um diferencial enorme para quem fez a prova.

Caso surja alguma dúvida durante os seus estudos, deixe um comentário. Faço questão de ajudar no que for necessário.

Vamos nessa!

O que cai de Microeconomia para Concurso

Conteúdo de Microeconomia para Concurso

Antes de iniciar a compreensão sobre Microeconomia, vale a pena saber o é pedido nos editais Brasil afora. Vou tomar como exemplo o próprio concurso de Agente da Polícia Federal. Veja o conteúdo programático previsto:

  • Conceitos fundamentais.
  • Determinação das curvas de procura.
  • Teoria do consumidor.
  • Utilidades cardinal e ordinal.
  • Restrição orçamentária.
  • Equilíbrio do consumidor e funções demanda.
  • Curvas de Engel.
  • Demanda de mercado.
  • Teoria da produção.
  • Isoquantas e curvas de isocusto.
  • Funções de produção e suas propriedades.
  • Curvas de produto e produtividade.
  • Curvas de custo.
  • Equilíbrio da firma.
  • Equilíbrio de curto e de longo prazos.
  • Estruturas de mercado.

Para acertar questões da disciplina você deve explorar cada um desses tópicos, respondendo questões para treinar na prática seus conhecimentos.

Vamos começar esse aprendizado agora!

O que é Microeconomia?

O que é Microeconomia

Microeconomia é o ramo da ciência que estuda o comportamento das unidades de consumo, isto é, as pessoas e suas famílias. Também analisa as empresas e a produção de preços dos bens, serviços e fatores produtivos.

Assim, as escolhas de cada um são estudadas, visando a máxima utilidade e evitando a escassez. Por este motivo, a microeconomia vê a oferta de um produto ou serviço no mercado, explicando os fatores que a motivam, como a demanda e a formação dos preços.

Diferença entre micro e macroeconomia

A macroeconomia terá sua oportunidade de ser explorada em breve aqui no blog, em um estudo só seu, mas seu significado será conceituado agora, para melhor entendimento da microeconomia.

A microeconomia está concentrada na análise da economia de modo individual, por mercados diferentes, tendo como objetivo o entendimento da formação de preços e o comportamento dos indivíduos e das empresas no comércio.

Já a macroeconomia agrega os mercados diferentes, analisados pela microeconomia, englobando-os na economia nacional.

Assim, são analisados os rendimentos e as despesas geradas, incluindo fatores como crescimento, desemprego, juros e inflação.

A microeconomia e os custos de oportunidade

Custos de Oportunidade - Microeconomia

Quando existe uma atividade econômica, são analisados os custos de oportunidade, ou seja, a importância de um produto ou serviço oferecido frente aos bens que a pessoa deixa de ter.

Não ficou claro? Vamos melhorar essa explicação! O custo de oportunidade estuda o quanto as pessoas estão dispostas a pagar por algo que desejam, ao desistir de comprar outros itens que possuam o mesmo valor.

Mas não é somente o custo de oportunidade que é analisado na microeconomia, e sim o benefício que tal produto trará àquela pessoa. Esse custo é bem conhecido nosso: o custo/benefício.

A relação entre custo e benefício

Você já deve ter ouvido falar bastante em custo/benefício. E faz esta relação ao planejar a compra de algum produto ou serviço?

O custo/benefício é a relação entre o preço de um produto e a utilidade que este item lhe trará. Deve ser a maior utilidade possível, para valer a pena. Afinal, quem quer comprar algo que não lhe servirá?

Os benefícios devem ser maiores do que os custos, tanto para pessoas físicas quanto para jurídicas. Ou seja: as empresas visam o lucro e ele só é possível quando as vendas são maiores do que os custos de produção. Ao contrário, o resultado será prejuízo.

O equilíbrio de mercado

Equilíbrio de Mercado - Microeconomia

Com isso, objetivamos o equilíbrio de mercado. Ou seja: consumidores e empresas se relacionam o tempo todo, procurando e ofertando bens e serviços necessários. A formação de preços é feita por essa interação.

A lei da oferta e da procura

A formação de preços, muito estudada pela microeconomia, está baseada na lei da oferta e da procura. O que seria isso?

As pessoas compram os produtos oferecidos pelas empresas, e as empresas ofertam produtos que serão comprados pelas pessoas. Quanto menor o preço, mais as pessoas procurarão estes itens. Já para as empresas é levado em conta o preço relativo à quantidade, ou seja, quanto maior a quantidade, maior o preço.

Um exemplo disso é a oferta de aparelhos condicionadores de ar. No verão, quando são mais requisitados, as empresas os querem vender a preço mais alto. Contudo, o preço desses equipamentos diminui no inverno, pois são peças que tendem a ficar em estoque quanto as temperaturas estão mais baixas.

Acontece que se as empresas não diminuírem os preços, as pessoas não comprarão aparelhos de ar condicionado no verão, deixando para adquiri-los somente no inverno. Para agradar a todos, uma solução: o preço de equilíbrio de mercado. Ele é o ponto onde a curva da oferta se encontra com a curva da procura.

O equilíbrio do preço entre a oferta e a procura também pode ser exemplificado pela tecnologia. Vamos ao exemplo dos computadores.

Há vários anos, quando esses dispositivos custavam muito caro, as pessoas raramente os podiam comprar. Contudo, com o avanço da informática o preço baixou, assim as vendas aumentaram. Hoje, o cenário é o inverso e raramente conhecemos alguém que não possui um dispositivo desse tipo em casa.

O Princípio da Racionalidade

Princípio da Racionalidade - Microeconomia

O exemplo do aparelho de ar condicionado nos dá o gancho para o Princípio da Racionalidade, ou seja: os produtores tentarão ao máximo o aumento de seus lucros, já que o aumento da demanda (caso do verão) proporciona a eles o aumento de preço.

Contudo, se a oferta de produtos for superior à demanda, caso do inverno, o preço tende a diminuir.

E o que é demanda?

Em microeconomia se fala muito em demanda, que é a quantidade de produtos que os consumidores estão dispostos a comprar em um determinado tempo. Porém, demanda é o desejo de consumo, não quer dizer sua compra de fato.

Voltemos ao exemplo dos condicionadores de ar, que tendem a aumentar as vendas no verão porque as altas temperaturas fazem com que as pessoas desejem aparelhos condicionadores de ar em seus ambientes. Contudo, não são todas as pessoas que desejam que vão comprar o produto.

Teorias da microeconomia

Teorias de Microeconomia

São três as teorias da microeconomia, que se baseiam nas leis da oferta e da demanda (também chamada de procura).

Teoria do Consumidor

Analisa as preferências do consumidor, incluindo suas escolhas e limitações por conta dos valores dos produtos, determinando assim a demanda do mercado sobre os produtos e serviços.

Teoria da Empresa

Analisa a estruturação econômica dos fabricantes de produtos, pela demanda do mercado. Assim, a oferta de itens será feita de acordo com a demanda, ou seja, de acordo com a quantidade que os consumidores estão dispostos a comprar.

Teoria da produção

Estuda a transformação das matérias-primas em produtos finais, além do custo das empresas para esse processo, que refletirão no preço dos bens de consumo e na oferta ao consumidor.

Os influenciadores da microeconomia

Os influenciadores da microeconomia

Você já parou para pensar em quem são os influenciadores da microeconomia? Sua resposta pode ser o consumidor, e ela não está errada, é claro. Mas, os consumidores e as empresas são influenciados por uma variedade de fatores, e é deles que falaremos abaixo:

Público-alvo

São as pessoas que as empresas pretendem atingir, pois são elas os potenciais clientes, os compradores dos seus produtos e serviços. Conhecer o seu comportamento é fundamental para aumentar as suas vendas.

Demanda

É a quantidade de produtos que os consumidores poderão comprar. Por ela você formará a oferta, evitando erros de produção que poderão acarretar prejuízos, principalmente se não houver uma boa gestão de estoques. Mas mesmo assim, lembre-se de que produto em estoque é dinheiro parado!

Precificação

A determinação do preço de um produto é crucial para uma empresa, pois pode levar um estabelecimento à falência, caso não sejam feitos ajustes a tempo.

A decisão do preço de um item deve ser feita levando em consideração os custos de produção, do lucro e do valor agregado, mas ao mesmo tempo deve ser coerente para não espantar consumidores e evitar vendas.

Levar o preço de um produto a um alto patamar traz prejuízos porque não cobre os custos.

Fatores de produção

Controlar as informações de produção é outro fator importante e bastante influenciador da microeconomia, afinal é preciso saber exatamente qual foi o custo da matéria-prima, o tempo que leva para a transformação em produto final, os custos de armazenagem, isto é, tudo o que se refere à fabricação do produto na empresa.

Isso influenciará diretamente no preço, na qualidade e nas vendas. A gestão correta dos fatores de produção, além de melhorar os processos, auxilia na adequada precificação.

Mercado

Não somente os consumidores e os fabricantes são influenciados pela microeconomia, mas também o mercado. Estudar o mercado mostra a formação de preços e sua influência na oferta e na procura.

Estudar o mercado também traz o acompanhamento das tendências e o aquecimento ou esfriamento das vendas, que irão influenciar no preço e nos custos dos produtos.

Dessa forma, se faz necessário estudar o mercado também, para conhecer a concorrência e tomar as mais acertadas atitudes para o seu negócio.

Os afetadores da Microeconomia

Afetadores Microeconomia

Você já conhece os fatores influenciadores da microeconomia. Agora é hora de conhecer os afetadores da microeconomia, isto é, os fatores que a afetam.

Usaremos como exemplo a crise econômica pela qual o Brasil passou (ou ainda está passando, como queira). É claro que ela é um grande afetador da economia, pois as pessoas cortam gastos e o poder de compra é diminuído.

Dessa forma, pelas teorias que já estudamos, você sabe que a demanda também diminui, já que as empresas não irão produzir algo que não será adquirido e que ficará parado em seus estoques.

Assim, os fabricantes deverão adequar a produção à realidade: redução de custos, menor produção, mudança no produto, alteração de preços, etc., tudo para evitar grandes prejuízos.

Outro fator que afeta a microeconomia é o PIB (Produto Interno Bruto) de um país. Ele mostra se este país está produzindo mais ou menos riqueza. Quando o PIB cai, a economia está em esfriamento e o consumo é menor, fazendo com que as empresas tenham mais dificuldades.

O comércio exterior também entra nesse tópico dos afetadores. Afinal, a balança comercial, a inflação, a cotação do dólar e o índice de preços (IGP), entre outros indicadores, influenciam e afetam a microeconomia, principalmente em seus pontos mais sensíveis.

Apesar destes influenciadores e afetadores, as empresas devem trabalhar para contornar as dificuldades e gerar oportunidades de crescimento, sempre com diminuição dos riscos.

A microeconomia e as empresas

Microeconomia e as empresas

A relação entre a microeconomia e as empresas é essencial, muito mais do que você pode imaginar. Em pequenas empresas essa ligação é ainda mais forte, porque elas estão mais suscetíveis aos influenciadores e afetadores, pesando grandemente sobre pequenos empreendedores.

Os fatores de produção impactam diretamente nas empresas, então elas precisam gerir os recursos para que atendam os seus interesses.

Quanto mais tempo e custos de produção, menor será o lucro, pois não se pode esquecer a precificação adequada ao mercado. Se a empresa optar por matéria-prima mais barata, a qualidade pode ficar comprometida. Assim, a demanda poderá ser prejudicada.

Portanto, a microeconomia é importante para o seu negócio, mesmo que você seja um microempreendedor individual.

Então, é preciso tornar ótimos os recursos que você tem, conhecer a demanda para produzir a oferta adequada, estabelecer preços coerentes com os seus custos de produção e com o mercado, além de analisar a concorrência e estudar os fatores externos, que são os influenciadores e afetadores da economia.

O que aprendemos neste artigo

Hoje nos dedicamos à compreensão da Microeconomia, um assunto que cai principalmente no conteúdo específico de concursos públicos brasileiros.

Vimos uma introdução bem ampla dos conceitos da disciplina, para você se situar e partir para um aprofundamento de qualidade para acertar questões no seu concurso.

Tenho um convite para você!

O que achou deste artigo? Deixe agora um comentário com a sua opinião. Pra mim é fundamental contar com a sua participação.

Deixe dúvidas, sugestões e críticas. Faço questão de ler cada comentário, e respondo na primeira oportunidade que surge.

Até a próxima!

😉