Economia da Atenção para concurseiros: ganhe foco e clareza mental!

Economia da Atenção

As informações sobre os riscos de uma alimentação desregulada são relativamente conhecidas pela maioria das pessoas. Sabemos bem que o excesso de gorduras, açúcar e sal, por exemplo, trazem risco à saúde, e pode nos impedir de alcançar alguns objetivos que exigem saúde física.

Um maratonista dificilmente conseguirá completar uma prova se não balancear sua alimentação com os nutrientes necessários durante o período de treinamento até o dia da competição.

Infelizmente ainda não são tão popularizados, nem levados a sério, os riscos que maus hábitos podem causar à nossa saúde mental. Assim como ocorre com o corpo físico, a nossa mente também precisa ser adequadamente nutrida para ter uma vida saudável.

E não é à toa que usei a comparação do maratonista: nós, concurseiros, somos como maratonistas em relação ao desafio que assumimos, a aprovação em um concurso público. Como você está alimentando a sua mente para conseguir sucesso nesse objetivo?

Neste artigo vamos conversar um pouco sobre economia da informação, um tema importantíssimo para a nossa época, principalmente para quem tem objetivos de médio e longo prazo em relação aos estudos.

O que é economia da atenção?

O que é Economia da Atenção

Quem primeiro definiu o termo “Economia da Atenção” foi o economista norte-americano Herbert Simon (1916-2001):

A riqueza de informação cria pobreza de atenção, e com ela a necessidade de alocar a atenção de maneira eficiente em meio à abundância de fontes de informação disponíveis

Herbert Simon

Ou seja, quanto mais informações estão disponíveis mais precisamos nos preocupar em relação a quais fontes de informações vamos dar atenção.

Se preocupar com a economia da sua atenção é fundamental para obter êxito no seu concurso público.

Voltando à metáfora do maratonista, é como se ele tivesse todos os dias um banquete à sua frente com doces, frituras, alimentos processados, frutas, saladas, verduras… Todo tipo de comida.

Quais alimentos um maratonista de sucesso escolheria para se nutrir?

As várias fontes de informação

Fontes de informação

Atualmente temos acesso com muita facilidade a dispositivos que oferecem uma enxurrada de informações: tablets, smartphones, televisores, relógios e por aí vai.

Nesses dispositivos, estão instaladas as mídias sociais: plataformas que nos entregam ininterruptamente conteúdos de pessoas e marcas que, de outra maneira, não teríamos acesso no “mundo real”: Facebook, WhatsApp, Instagram, Twitter e muitas outras.

Dentro da lógica do cuidado com a saudável nutrição da sua mente, pergunto: quais dessas fontes lhe entrega conteúdo realmente saudável?

Mais do que isso: quais delas lhe ajudam em seu objetivo: passar num concurso público?

Já disse aqui que alcançar grandes objetivos exige grande dedicação. Você não vai ser aprovado num concurso superconcorrido sem estudar com consistência. Não há milagre!

Tal qual um atleta de alto rendimento, que transforma toda a sua vida  para vencer as competições que participa, um concurseiro que almeja sucesso também precisa dessa atitude.

Informações prejudiciais à saúde mental

Saúde Mental

Pode parecer exagero, mas, sim: existem informações que prejudicam a sua saúde mental. Primeiro, elas fazem com que você perca tempo com bobagem, enquanto poderia estar estudando.

Segundo, elas podem lhe cansar, pois temos um limite diário para consumo de informação. Num ciclo de estudos, por exemplo, começamos com uma boa desenvoltura e vamos cansando aos poucos, até pararmos para descansar.

Se você consome informações inúteis, estará gastando sua energia de forma inútil.

Mas não é só a falta de tempo e o cansaço. Informações más também geram emoções aflitivas indesejadas, prejudiciais à saúde mental.

Você vê um vídeo de um roubo a um velhinho no WhatsApp e sente raiva. Você vê no Instagram que sua amiga está tirando férias em Fernando de Noronha e sente inveja. Você começa a assistir a novela das 8 na televisão e sente preguiça de voltar aos estudos.

Informações podem ser tão danosas para a sua mente quanto o cigarro ou a gordura podem ser para o seu corpo físico.

Dificuldade de manter o foco

Foco nos estudos para Concurso

Se você consome descontroladamente todo tipo de informação que chega, olha o celular a cada 1 minuto, e vive interagindo intensamente nas redes sociais, é possível que tenha extrema dificuldade em manter o foco nos estudos.

Novamente, voltemos ao paralelo com o corpo físico.

De maneira geral, quando alguém chega ao quadro da obesidade, seu organismo já está acostumado com o consumo excessivo de nutrientes. O ato de comer passa a ter um componente compulsivo, pois durante muito tempo foi acostumado ao excesso alimentar.

Nossa mente também torna-se compulsiva em relação ao consumo da informação. O vício e a utilização imoderada das redes sociais levam à incapacidade de manter a atenção por muito tempo em alguma coisa ou em alguém.

É aquela velha história: começamos a ler e, de repente, estamos pensando em algo que não tem nada a ver com os estudos.

Como fazer uma dieta de informação na prática

Dieta de Informação

Para recuperar seu nível de atenção, precisaremos criar uma verdadeira dieta de informações. Antes de tudo, você precisa se avaliar: quais informações você consome e são realmente úteis e importantes para a sua vida, em especial para a sua aprovação num concurso público?

Quantas vezes você costuma desbloquear o telefone celular para “ver novidades” que provavelmente não acrescentarão nada à sua estratégia de preparação para um concurso? Quanto tempo você passa navegando nas redes sociais?

Aqui vão algumas dicas práticas para ganhar foco e atenção, preservar sua mente e ganhar tempo:

  • Utilize as mídias sociais apenas quando necessário, para se comunicar com alguém e encontrar contatos que facilitarão sua vida ou seus estudos.
  • Desabilite as notificações de mídias sociais do seu celular. Elas são a porta de entrada para a distração e o contato com informações prejudiciais.
  • Quando estiver estudando, desligue o celular ou ative o modo avião.
  • Para assistir videoaulas ou ler textos online abra uma aba por vez. Só abra um novo conteúdo quando terminar de assistir/ler o anterior.
  • Ao estudar atualidades para concurso prefira ler reportagens e discussões qualificadas. Ler apenas manchetes e/ou notícias rasas não vai ajudar muito.
  • Pratique meditação, a melhor forma de deixar sua mente mais limpa, estável e energizada.

Se você tem o hábito de consumir uma grande quantidade de informações inúteis no seu dia-a-dia, provavelmente terá dificuldade de abandonar isso de uma hora pra outra. Vá modificando sua rotina aos poucos.

Algo que pode ajudar bastante é a prática de atividades físicas e esportes, que diminuirão seu nível de ansiedade.

O que aprendemos neste artigo

Hoje entendemos o conceito de economia da atenção, e aprendemos de maneira prática formas de melhorar nosso foco na preparação para um concurso público.

Vimos como o consumo de informações desnecessárias pode ser prejudicial, e como criar uma dieta saudável de informação.

Tenho um convite para você!

Como você lida com a quantidade de estímulos e informações que chegam em seu dia-a-dia? Deixe um comentário para que possamos iniciar uma conversa sobre o assunto.

Sua participação é fundamental para continuarmos publicando aqui no blog. Faço questão de ler cada comentário, e respondo na primeira oportunidade que surge.

Até a próxima!

😉